Veja o que fazer para secar o leite materno

Quando os bebês conseguem se alimentar com alimentos sólidos, é comum que muitas mães procurem maneiras de secar o leite. Assim a mulher não precisa mais ficar amamentando o pequeno. Entretanto, em alguns casos, secar o leite materno é uma necessidade. Algumas mulheres enfrentam dificuldades durante a amamentação.

Aliás, determinados problemas de saúde podem afetar diretamente na amamentação. Assim, profissionais podem recomendar a secagem do leite. Desse modo, a mulher pode reduzir os desconfortos físicos e psicológicos. Além dos métodos da medicina, existem algumas formas de secar o leite materno em casa. Descubra como através deste post.

Veja o que fazer para secar o leite materno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira o que vai encontrar ao ler este conteúdo:

  • Como saber a hora certa de secar o leite;
  • Dicas práticas para fazer em casa;
  • Como fazer o desmame de forma tranquila.

Quando é aconselhado secar o leite

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que as mães saudáveis amamentem seus filhos até pelo menos os 6 meses e no máximo 2 anos. Entretanto, em casos excepcionais a amamentação não pode ser indicada sendo recomendado secar o leite. Mães portadoras de HIV e que possuem câncer de mama, por exemplo, costumam adotar o método.

Veja o que fazer para secar o leite materno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Além disso, em situações de distúrbios mentais ou comportamento de risco também é recomendado interferir na produção do leite. Se a mulher apresentar doenças causadas por bactérias, vírus, hepatite B ou C, pode transmitir para o bebê caso tenha alta carga viral. Logo, é recomendado que a amamentação seja interrompida temporariamente.

Da mesma forma, se a mãe tiver herpes ativa no mamilo ou na mama, os médicos podem recomendar pausa na amamentação durante um período. Ainda, existem casos em que o bebê também pode apresentar algumas situações em que a mãe irá precisar secar o leite ou interromper a amamentação de forma provisória.

Casos em que o bebê não pode mamar

Em outras situações, o bebê pode ser quem não consegue ou não pode se alimentar de leite materno. Portanto, secar o leite pode ser a alternativa para mãe. Por exemplo, quando a criança nasce com baixo peso e não consegue engolir ou sugar o líquido. Quadros de Galactosemia e Fenilcetonúria devem ser considerados nessa decisão.

A má formação do esôfago ou da traqueia pode impedir a alimentação via oral, assim como doenças neurológicas graves. Claro que tudo vai depender da análise profissional, mas normalmente o bebê não deve mamar nos casos citados. Todavia, existe a possibilidade dele se alimentar por meio de leite adaptado.

O leite pode ser retirado com ordenha manual ou bombinha até que o bebê possa amamentar normalmente. Ou até a mãe ter tido aval do médico. Como citado no início deste artigo, essas não são as únicas situações em que a mãe decide secar o leite materno. O bebê pode estar se alimentando só de comida sólida, o que faz a mulher decidir pelo método.

Como secar o leite – Dicas caseiras

Qualquer mulher que deseja interromper a produção do leite deve parar de estimular o processo. Então, o primeiro passo é não amamentar. Quando o bebê realiza a sucção do leite, automaticamente esse movimento estimula a produção do leite. Consequentemente, não vai secar. Por isso, é fundamental que a mulher tenha parado de amamentar.

Veja o que fazer para secar o leite materno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Ainda, certifique-se que não irá voltar a amamentar o bebê. Outra dica é não usar bombinha, pois isso estimula a produção do leite da mesma forma que a sucção. Se desejar tirar o excesso de leite, é recomendado a ordenha manual até mesmo para evitar mastite. Para quem não sabe, mastite é a inflamação da mama que causa vermelhidão, inchaço e dor na região.

Dito isso, vamos aos métodos caseiros para secar leite. É válido lembrar que o processo pode levar algum tempo, sendo comum sentir os seios doloridos e pesados. Caso queira reduzir esses efeitos, pode fazer a ordenha manual do excesso do leite para diminuir o desconforto. No geral, tenha paciência.

Faça compressa gelada

A compressa gelada costuma ser eficaz para ser leite materno. Coloque-a sobre o seio durante 15 minutos, entre 3 a 6 vezes ao dia. O contato na pele ajuda a inibir os vasos produtores de leite, para que futuramente a produção cesse. Lembre de colocar  compressa envolvida em uma toalha ou pano e não deixe no seio por mais de 15 minutos.

Devido à temperatura da compressa, se deixar muito tempo pode provocar queimaduras. Por isso, não é recomendado contato direto do gelo na pele. A segunda dica é apertar as mamas com uma faixa. Ao amarrar a faixa nos seios, garanta que eles fiquem juntos ao corpo de modo que ajude a secar o leite.

Embora a amarra seja uma técnica eficaz, tenha cuidado ao apertar a faixa. Opte por amarrar com um pano de algodão ou gaze, porém não aperte forte demais. A faixa não pode dificultar sua respiração, sendo necessário fazer intervalos para descanso às mamas. Quando for tomar banho, coloque a água em temperatura morna e tire uma pequena quantidade de leite.

Chás e remédios para desestimular produção de leite

Junto com as dicas caseiras, as mamães podem recorrer aos chás que ajudam a desestimular a produção do leite. O chá de menta é um grande aliado, além de agir como um hidratante nas mamas. Sem contar que é saboroso. O chá de sálvia é outra alternativa, tendo sua ingestão recomendada de 2 a 3 vezes ao dia.

Veja o que fazer para secar o leite materno
Fonte: (Reprodução/Internet)

Colocar as ervas desidratadas nas refeições ou no óleo essencial também pode ajudar no processo. Acredite ou não, mas folhas de repolho também reduzem na produção do leite. Neste caso, a mulher pode colocar algumas folhas mornas ou frias nos seios para reduzir o desconforto.

Também existem as alternativas tradicionais por meio de medicamentos. No entanto, todos os remédios precisam ser indicados por um profissional. O Dostinex costuma ser receitado para mulheres que precisam tratar a prolactina, hormônio responsável pelo estímulo da produção do leite nas glândulas mamárias.

Outras alternativas

Algumas pessoas acreditam que o Ibuprofeno, analgésico que age contra inflamações, serve para secar o leite. Entretanto, a eficácia para essa finalidade não foi comprovada. Logo, é válido certificar-se informações como essa junto ao médico. Agora, o uso de pomadas para a amamentação é recomendado para diminuir as dores nos seios.

Além da pomada, as mamães podem massagear o seio lentamente debaixo do chuveiro para desfazer nós existentes na região. Lembre-se de não usar conchas ou outros recursos que produzem o mesmo resultado da sucção. Prefira utilizar absorventes de algodão para as mamas.

Se preferir fazer a ordenha manual, lave bem as mamas e as mãos com água e sabão neutro. Use máscara e prenda os cabelos. Posicione a mão em formato da letra “C”, colocando o dedão na parte de cima do auréola e os outros dedos na parte debaixo do seio. Pegue os dedos indicador e polegar para pressionar levemente o peito.

Como parar de amamentar 

Se ainda não desmamou por completo o bebê e deseja em breve começar a secar o leite, separamos algumas dicas para este processo. É comum que as mães se queixem de que desmamar o neném é algo difícil e às vezes traumático. Mas calma! Existem formas de tornar isso menos complicado.

Veja o que fazer para secar o leite materno
Fonte: (Reprodução/Internet)

O primeiro passo é reduzir a quantidade de vezes que a criança mama. Simultaneamente, a produção de leite irá diminuir. Para fazer essa modificação sem afetar negativamente o bebê, substitua uma das mamadas por uma refeição. Claro, levando em consideração que o bebê já esteja com pelo menos 7 meses.

Por exemplo, se a mamãe costuma amamentar o bebê durante a hora do almoço, substitua por uma papinha salgada. Quando ele tiver 8 meses, faça a substituição durante o lanche e, assim, sucessivamente. Os médicos afirmam que a partir de 1 ano de idade, os bebês já podem se alimentar da mesma refeição dos pais. Claro, desde que seja saudável.

Reduza o tempo das mamadas

Além de diminuir a quantidade de mamadas, reduza o tempo aos poucos. Para fazer isso de uma forma estratégica, dê atenção ao bebê, conversando ou brincando, mesmo depois de tirá-lo do peito. Desse modo, ele entenderá que a mãe não está presente só na hora da amamentação.

Suponhamos que o neném fique 20 minutos durante cada mamada, reduza esse tempo para 15 minutos. Ao passar das semanas, observe e continue reduzindo gradativamente. Se policie também em não oferecer peito para o bebê. A partir de 1 ano, a criança pode se alimentar de quase tudo, logo, amamentá-lo não deve ser a primeira coisa a se fazer quando ele tiver fome.

Para melhorar essa dinâmica, pedir para que outras pessoas deem a papinha para o bebê pode ser uma boa alternativa. Inconscientemente, as crianças associam a presença da mãe ao desejo de mamar. Então, se o avô, o pai ou tia der a comida, este processo de adaptação pode ficar mais fácil.

É hora de interromper a amamentação noturna 

Normalmente, é durante a noite que o bebê faz a sua última mamada. Logo, algumas crianças só conseguem dormir depois de terem sido amamentadas. O ideal é que elas durmam sem a necessidade de mamar. Desse modo, é interessante ensinar o bebê a dormir independente disso, porém o processo pode demorar alguns meses.

Não se assuste, se o bebê ficar alguns dias sem querer mamar e depois pedir peito. Esse comportamento é comum no desenvolvimento do pequeno. Aliás, é uma das etapas para que o processo seja completo. Evite brigar ou gritar com a criança, isso pode afetar negativamente o desmame e fazê-la se sentir abandonada.