Tem um jeito para sobreviver sem salário…

Vamos imaginar que você perca hoje o seu trabalho. O que você faria e quanto tempo você conseguiria manter o seu padrão de vida e as suas contas até conseguir encontrar outra fonte de renda?

Interessante essa pergunta, não é? E o assunto de hoje é justamente sobre isso: será que dá para sobreviver sem salário?

Tem um jeito para sobreviver sem salário...

Mesmo porque essa é uma situação realmente crônica nas famílias brasileiras e que aconteceu de forma muito frequente nos últimos anos.

A sustentabilidade financeira

Se tem muita gente que já passou por isso quer dizer que as pessoas não têm sustentabilidade financeira.

O poder aquisitivo já se perdeu há muito tempo e o poder de compra também.

Para ver isso claramente, basta se perguntar há quanto tempo você não recebe um bom dissídio da sua empresa ou há quanto tempo o seu estado não repassa o dinheiro para os funcionários públicos.

Imagine o poder aquisitivo de uma pessoa que tem algo como 70% a menos do que tinha há alguns anos.

Isso causa a falta de sustentabilidade financeira o que pode ser um grande problema para quanto imprevistos acontecem, exatamente como a perca de um emprego.

É preciso se mantar sem dinheiro

O que uma pessoa faz para combater os imprevistos é que pode mudar todo cenário.

Você, por exemplo, o que faz para resolver esse desequilíbrio? Sem dúvida alguma, se você não tem uma reserva de emergência, você torna ainda mais grave a situação.

Uma pesquisa feita recentemente perguntou aos entrevistados o seguinte: “se você perdesse o seu emprego hoje e deixasse de receber o seu salário, por quanto tempo você conseguiria manter o seu atual padrão de vida?”

E as respostas foram assustadoras – como já era de esperar!

56% aguentariam apenas alguns meses, 36% até 1,5 ano e somente 8% até 5 anos!

A saída é a educação financeira

Embora triste, essa é a verdadeira situação das famílias brasileiras e essa pesquisa foi feita em 100 das maiores empresas do Brasil.

E olha só, esses colaboradores têm 13º salário, férias, benefícios, vale-transporte, vale refeição, previdência complementar e outros benefícios.

Realmente, é de se espantar muito, não é?

Agora imagine o trabalhador que não tem ganho recorrente, como os autônomos. Como é que faz para sobreviver aos imprevistos? Somente a educação financeira é capaz de ajudar!

A educação financeira

O resultado é que todo mundo precisa investir em conhecimento e acima de tudo buscar por uma reserva financeira que possa sustentar você e sua família por um longe tempo.

Chamamos isso de independência financeira ou aposentadoria sustentável!

O mais importante é que você tome a decisão de fazer e comece agora!

“Mas, eu não tenho nenhum dinheiro, não tenho nenhuma reserva, não sobra nada no fim do mês, eu gasto mais do que recebo”. Esse é o jeito errado de se pensar!

Simples: você vai ter que dar um jeito e vai ter que fazer sim quase uma faxina financeira, reúna a família e busque pela solução. Simples assim!