Aposentadoria por Idade e por Tempo de Contribuição – entenda a diferença!

O INSS é responsável por fazer o pagamento da aposentadoria para muitos brasileiros que optam ou tem o direito ao benefício trabalhista e social. Só que com o tempo, algumas regras mudam e todo mundo fica bem confuso sobre o que fazer!

O que temos hoje são 2 opções bem objetivas: a aposentadoria por idade do trabalhador ou pelo tempo de contribuição que ele fez ao INSS. Mas, você sabe qual é a diferença entre elas? Descubra!

Aposentadoria por Idade e por Tempo de Contribuição – entenda a diferença! 1

E leve em conta que não existe a melhor ou a pior para todo mundo, já que cada caso é um caso e a melhor para você pode não ser a melhor para outra pessoa. Portanto, o ideal é conhecer os tipos antes de começar a pensar no seu futuro!

Aposentadoria por Idade

O requisito principal para se aposentar por idade é ter a idade certa, isto é, uma regra que é determinada para que a pessoa possa se aposentar.

E isso é bem fácil de entender: 60 anos para mulheres e 65 anos para homens.

Só que aí entram outras regras para se aposentar por idade. Por exemplo, mesmo que o foco seja a idade é preciso ter um tempo de contribuição com o INSS também.

Por exemplo, para se aposentar por idade, o tempo é de 180 meses (15 anos).

Aposentadoria por Tempo

Aqui também entram algumas regras importantes, sendo que uma delas tem a ver com o tempo de contribuição, que é de 35 anos (pagando o benefício do INSS).

E, nesse caso, não tem necessidade de comprovar a idade mínima, como no caso acima.

Porém, temos o que é chamado de fator previdenciário e é aqui que existe a dúvida sobre essa aposentadoria ser vantajosa ou não.

Ele pode diminuir a aposentadoria em quase metade do valor (50%).

Esse fator é uma fórmula que é aplicada na renda mensal da aposentadoria por tempo de contribuição e foi criada justamente para evitar que o trabalhador se aposente “jovem” demais.

E, o que mais tem acontecido é que quem opta por receber a aposentadoria do INSS por tempo de contribuição acaba tendo que esperar a idade mínima se completar também, de 60 e 65 anos, sendo que caso isso não aconteça, a pessoa recebe bem pouco do INSS.

A melhor aposentadoria

Como visto, o governo tem feito muitas alterações para conseguir adequar o seu orçamento financeiro com as contas públicas e isso tem afetado (e muito) a vida do trabalhador. No entanto, o trabalhador acaba tendo que abrir mão de alguns objetivos.

Assim sendo, o que se pode observar também é que a população está envelhecendo em todo o mundo, inclusive, no Brasil, o que torna necessário pensar no futuro com outros olhos – talvez, de forma mais segura.

Por isso mesmo tem crescido a busca pelos planos de previdência e pelos investimentos a longo prazo, que são formas individuais de garantir uma boa aposentadoria e sem ficar totalmente dependente do INSS. Se você nunca pensou nisso, comece a estudar as opções.