7 conceitos para entender o mercado acionário com a série Billions

Billions é uma série muito indicada para todo mundo que gosta do mercado acionário ou que tem interesse em investir nele.

O enredo são jovens investidores que tem gana e fazem de tudo para ganhar dinheiro. Claro que isso envolve práticas ilegais também. Mas, de uma maneira mais objetiva, dá para aprender alguns termos usados no mercado acionário. Confira.

7 conceitos para entender o mercado acionário com a série Billions

1 – Conselho de Administração

Todas as empresas que negociam na bolsa de valores tem um conselho de administração.

Por lei, esse conselho é obrigatório e tem o papel de supervisionar as atividades da direção da empresa. Inclusive, tem o papel de ser o principal representante dos interesses dos acionistas daquela empresa.

A ideia é simples: amparar acionistas para que os dirigentes tomem a melhor decisão para a empresa, seja na busca por novos mercados, novos investimentos, etc.

2 – Fundos de Pensão

São fundos de previdências coletivos. O objetivo deles é administrar os recursos da aposentadoria dos colaboradores de uma grande empresa.

Geralmente, de empresas que também estão na bolsa de valores. Aqui no Brasil, os fundos mais conhecidos são do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, da Vale e da Petrobras.

3 – M&A

Mergers e Acquisitions ou M&A é uma sigla que significa nada mais nada menos do que Fusões e Aquisições.

Portanto, tratam-se de operações que unem duas ou mais empresas. Se for aquisição, quer dizer que uma empresa comprou a outra. Se for uma fusão, considere que elas se uniram e formaram uma empresa maior, gerando, na maior parte das vezes, uma nova marca.

4 – Alavancagem

Uma empresa faz um empréstimo bancário para abrir uma nova loja ou expandir a produção.

Agora, imagine se isso acontecesse na bolsa de valores. E realmente acontece. A estratégia de operar mais recursos do que realmente se tem, pensando em impulsionar a rentabilidade é chamada de alavancagem.

Trata-se de uma estratégia arriscada, mas é muito comum no mercado acionário.

5 – Insider Trading

Não existe uma tradução exata para isso aqui no Brasil. Mas, na prática, quer dizer algo como negociar alguma ação ou investimento a partir de informações privilegiadas sobre alguma companhia.

O fato é que é uma prática totalmente ilegal, ainda que aconteça.

O insider pode ser o acionista controlador, o administrador da empresa, o funcionário, o consultor ou mesmo o advogado que tem direto à informações relevantes e que não foram informadas ao mercado.

6 – Private Equity

É uma modalidade de investimento onde um fundo compra uma empresa com alto potencial. A venda ocorre uns 5 anos após o investimento inicial que foi feito.

A ideia é muito simples: você investe em uma empresa, torna-se sócio dela e depois vende a sua fatia da empresa, visando o lucro.

7 – Hedge Funds

O fundo de hedge é um fundo de investimento. A diferença para os fundos mais comuns é que ele tem estratégias bem mais arrojadas e arriscadas.

Assim, os gestores podem pensar, sempre, em ganhar dinheiro, mesmo que isso seja arriscado demais, entende?

O fundo não precisa estar ligado unicamente ao mercado de ações, mas também pode ser de outras áreas, como de obras de arte, por exemplo.