Ideais de negócios que toda mãe pode começar

Apesar da tarefa de cuidar de um filho exigir muito trabalho por si só, muitas mães não abrem mão de ter a sua renda particular para não terem de depender de outras pessoas. Se você está nesse barco, e quer aproveitar o tempo com os seus filhos sem abrir mão de trabalhar, está no lugar certo. Hoje falaremos das ideias de negócios que toda mãe pode começar.

São ideias simples, porém, podem ajudar você a ter aquele insight que vai te direcionar ao rumo certo. Lembrando que, o melhor negócio não é aquele que te dá mais lucro, mas o que dá equilíbrio entre finanças e vida pessoal.

Está preparada? Então vamos conferir a seguir a lista de ideias de negócios que toda mãe pode começar.

Ideais de negócios que toda mãe pode começar
Foto: (reprodução/internet)

1. Lojas online

Quando falamos em vender online, estamos abrangendo todo tipo de nicho que se pode imaginar. Desde de itens mais simples como brinquedos, até os mais específicos como comida natural para cachorro.

De toda forma, você pode usar a sua criatividade para adquirir ou desenvolver produtos com a sua cara. Falar que essa opção é somente para grandes empreendedores é coisa do passado, já que as redes sociais mais conhecidas e acessíveis, como Facebook, Instagram e WhatsApp, possuem a função loja.

E o melhor é que você não tem que pagar um curso por isso, pois pode aprender todos os princípios para gerenciar a sua loja com vídeos no YouTube ou artigos online, em uma quase infinita gama de conteúdo disponibilizado gratuitamente.

No vídeo abaixo você confere como fazer uma loja online no seu próprio Facebook:

2. Freelancer

No último ano, o home office ganhou ainda mais força. Com isso, o número de pessoas que passaram a trabalhar de forma autônoma aumentou consideravelmente. Os freelancers, que trabalham por conta própria, sem necessariamente ter uma empresa ou vínculo empregatício, são a opção mais fácil de trabalho online.

A maioria dos freelancers começa a trabalhar em plataformas como a Workana e 99Freelas, em que você se cadastra, faz o seu perfil, portfólio e já pode oferecer lances em trabalhos que as pessoas precisam, que são os mais diversos. Para conseguir as oportunidades, basta ter conhecimento em uma área específica ou disposição para aprender.

Veja a seguir uma lista com exemplos:

  • Gerenciamento de redes sociais;
  • Digitação;
  • Redação de artigos;
  • Escrita para redes sociais;
  • Revisão de textos;
  • Designer;
  • Web designer;
  • Advocacia;
  • Engenharia;
  • Contabilidade;
  • Edição de imagens;
  • Edição de vídeos;
  • Organização de agenda;
  • Assistente administrativo;
  • Vendedor.

Depois de ter mais experiência em plataformas, muitos freelancers criam agências ou buscam fazer negócios diretamente com seus clientes, através de seu perfil profissional, principalmente no Linkedin. Nessa plataforma, o freelancer pode contar a sua história e fazer conexões com futuros clientes, sempre de olho no marketing de conteúdo, que funciona como portfólio do freelancer.

3. Afiliado ou produtor de conteúdo

Ser afiliado, apesar de parecer que o mercado já está lotado de pessoas nesse ramo, ainda é muito recompensador. Afinal, o mercado é muito grande e ainda dá muito lucro para quem investe nesse ramo.

Contudo, não pense que é fácil, porque para conquistar conquistar seu espaço na luz do sol. Será necessário investir tempo e dinheiro. Mesmo que você possa fazer suas páginas nas redes sociais gratuitamente, os seus conteúdos, como artigos para blogs, vídeos, imagens, entre outras coisas, vão precisar do tratamento de profissionais qualificados.

Quando o assunto é afiliado, nós sabemos que os nichos são vários também, portanto, você pode escolher a área que você mais gosta para trabalhar com o que você mais gostar e se adaptar.

4. Venda de produtos em casa

Vender produtos pela internet é a grande moda do momento. Porém, não é por isso que vender produtos em casa em casa não seja umas das ideias de negócios que toda mãe pode começar.

Muitas pessoas ainda preferem comprar o produto e levá-lo na hora, pois não tem muita intimidade com a internet e preferem fazer as coisas olho no olho com o vendedor. É aí que você pode entrar! Pense no lugar que mora, na sua vizinhança e verá que muitos produtos dificilmente serão encontrados aí para comprar.

Se você quer vender produtos em casa, pense em produtos que mais ninguém vende, mas que existe sim uma demanda por eles. Ao encontrar mercados inexplorados na sua vizinhança, você tem um terreno fértil para estabelecer a sua marca e se tornar uma referência.

O melhor de se tornar uma referência é que você ganha muito marketing gratuito. Isso acontece poreque, quando o assunto é comprar o tal produto, só tem você que vende!