Aprenda a fazer a gestão do seu capital de giro

O capital de giro é um dos fatores que mais afetam o dia a dia de todas as empresas, mas especialmente dos pequenos negócios.

Isso porque é com ele que o empreendedor repõe o seu estoque, paga os seus fornecedores, garante o dinheiro em caixa quando as vendas são feitas a prazo, entre outras manobras importantes para o negócio funcionar. O capital de giro é como a engrenagem principal de todo negócio.

Aprenda a fazer a gestão do seu capital de giro
Foto: (reprodução/internet)

Agora, quer saber como fazer uma gestão eficiente do seu capital de giro? Continue lendo porque no texto de hoje vamos falar sobre o controle financeiro da empresa, que é o primeiro passo para a gestão do capital de giro dos pequenos negócios.

Afinal, quando essa gestão é feita de maneira eficiente, o empresário resolve a maioria dos problemas de natureza financeira.

Negocie com fornecedores e clientes

Dica número 1: é preciso ficar atento aos prazos tanto para receber de clientes quanto para pagar os seus fornecedores.

No caso dos fornecedores, há dicas ainda melhores, como: procure as formas de pagamento mais confortáveis, que pode ser com um prazo maior. Ou se o pagamento for à vista, negocie um preço mais barato! Agora, verifique se esse desconto cabe no seu planejamento de capital de giro.

Já no relacionamento com os clientes, a melhor ideia é reduzir os prazos de pagamento sempre que possível, incentivando pagamento em dinheiro ou débito. Aqui, a lógica é inversa à dos fornecedores.

Identifique e corte gastos

Mais uma dica muito valiosa: descubra custos que podem ser diminuídos e faça o que for necessário para cortá-los. Lembre-se que gastos são como as nossas unhas: podem e devem ser sempre ser cortados.

Fique atento ao fluxo de caixa para manter as finanças em dia. Afinal de contas, não é raro que empresas fechem as portas pela má administração do capital de giro.

Seja disciplinado com os números

Quando for usar recursos da empresa para cobrir alguma despesa pessoal, anote e acompanhe o quanto você está retirando da empresa! Dá para fazer isso, mesmo que não seja recomendável.

O fato que é importante é você não deixar que as retiradas causem problemas. Porque isso pode gerar um profundo desequilíbrio no seu caixa. Então, seja vigilante com seu controle financeiro.

Faça a gestão de estoque

Muitas vezes, para aproveitar algum desconto que está muito bom, você pode acabar comprando mais do que precisa. E até aí, tudo bem porque você vai criar estoque. Só tome cuidado para não acabar comprometendo o seu capital de giro.

Acompanhe o seu estoque de perto para manter uma quantidade adequada de produtos. É preciso fazer isso equilibrando com as compras para encontrar a melhor proposta do fornecedor.

Aliás, em épocas de menor movimento é melhor reduzir o estoque e em época de maior movimento aumentar. Isso é inteligente de ser feito, ok?

Cuidado com os empréstimos

Se a sua empresa precisa pagar fornecedores e não tem dinheiro em caixa, o empréstimo é uma alternativa. Mas, cuidado. Muito cuidado.

Aqui entra, novamente, o planejamento financeiro. A dica é pesquisar os menores juros do mercado e não faça dessa alternativa um hábito.