Empréstimo Bolsa Família – Como Solicitar Agora

Todos os anos são liberados recursos para que os beneficiários do programa Bolsa Família possam solicitar o empréstimo para investir em seus próprios projetos. Neste ano, mais de R$ 4 milhões foram aprovados pelo governo.

O crédito é disponibilizado pelos bancos parceiros e possuem taxas de juros mais acessíveis, além de prazos que condizem com a realidade de cada interessado. Veja o que é preciso para solicitar o empréstimo Bolsa Família.

Empréstimo Bolsa Família - Como Solicitar Agora

Saiba ainda que o crédito não é descontado do benefício social, sendo que esse é apenas um requisito para solicitar o empréstimo e todo beneficiário vai continuar recebendo o Bolsa Família mensalmente, como é de direito.

Empréstimo Bolsa Família – o que é

Para quem é beneficiário do Programa Bolsa Família, geralmente pode ser difícil conseguir fazer um empréstimo nas condições tradicionais que os bancos oferecem.

Dessa forma, para auxiliar as famílias inseridas nesta realidade, foi criado um empréstimo com condições especiais. Batizado de “microcrédito Progredir”,  ele acabou se tornando uma das melhores formas para solicitar um crédito rápido, com taxas de juros acessíveis nos bancos.

Devido às suas peculiaridades, apenas alguns bancos aceitaram disponibiliza-lo, sendo eles: Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e Banco do Brasil.

No ano de seu lançamento, em 2017, era possível que cada participante pegasse emprestado uma quantia de no máximo 15 mil reais. Na época, ainda houve uma tentativa de facilitar a adesão, com taxas de juros inferiores a 1% ao mês.

Dessa forma, ser beneficiário do Bolsa Família é um requisito para solicitar o empréstimo, mas isso não quer dizer que as parcelas serão descontadas do benefício. Ao contrário, o beneficiário vai continuar recebendo a renda do programa social.

É necessário ser MEI para solicitar o empréstimo?

Diferente daquilo que muitas pessoas dizem a respeito deste empréstimo, não é necessário ter um cadastro de microempreendedor individual para ter acesso a esta linha de crédito.

Porém, queremos deixar bem claro que tudo depende da instituição que será procurada para a solicitação. Cada uma tem sua forma individual de proceder e pode ser que em uma delas o cadastro de MEI seja requisitado.

Dessa forma, pode-se concluir que existem diferenças entre as normas das instituições financeiras parceiras e as do Programa Progredir. Fique atento nos dois lados e esteja bem informado quanto a isso.

Afinal, ter o registro de MEI não é uma garantia para que o microcrédito seja aprovado. Esteja sempre se atualizando em relação ao seu cadastro no Programa Progredir.

Dinheiro para negócios

É possível que o dinheiro solicitado seja investido em algum negócio individual. Se este for o seu objetivo, saiba que será necessário que o empreendimento seja formalizado.

Para isso, você pode acessar ao Portal do Empreendedor clicando aqui. Lá, será possível realizar o registro do seu negócio. Com isso, você estará seguindo às orientações da Lei Complementar 128.

Com todo o processo de formalização finalizado, rapidamente será disponibilizado o seu número de registro, conhecido como CNPJ no ambiente empresarial.

Se a aprovação ocorrer e o seu negócio acabar tendo um bom desenvolvimento, será preciso que o beneficiário faça um desligamento de forma voluntária do programa Bolsa Família.

Com isso, pode-se entender que o grande objetivo é aguçar o senso empreendedor de cada família, levando-as a constituir suas próprias fontes de renda. Com isso, a expectativa é que o número de beneficiários diminua cada vez mais.

Como Solicitar Empréstimo Bolsa Família

É muito importante considerar o caminho correto para solicitar o empréstimo do Bolsa Família, sendo que ainda que existam muitos bancos parceiros do programa, o interessado não deve ir até uma agência para fazer o pedido.

A melhor maneira de fazer o pedido do crédito é através da plataforma digital do Ministério do Desenvolvimento Social, no Plano Progredir. É lá, de forma online, que o consumidor pode solicitar o empréstimo Bolsa Família.

Na página de acesso, os passos seguintes serão sobre preenchimento de formulário pessoal, que incluem informações como nome completo, número do RG e do CPF, além do número do CadÚnico, que garante a participação no Bolsa Família.

Depois disso, o ministério vai fazer uma análise sobre cada novo pedido que é feito a fim de aprovar a solicitação do empréstimo Bolsa Família. E enviar os dados para todos os bancos parceiros, que aí sim entrarão em contato com os solicitantes.

Antes, faça uma simulação

Uma coisa que queremos deixar bem clara a respeito do Programa Progredir é que ele tem o interesse em ser a ponte entre o beneficiário e a as instituições financeiras que poderão aprovar o crédito.

Por esta razão, não é possível saber quais os bancos que irão se dispor para fazer a negociação do empréstimo com você. Então, faça a sua inscrição no programa e, pacientemente, espere que um contato será feito.

Mas, independente disso, é muito útil que você faça uma simulação prévia para ter uma breve noção do dinheiro que poderá conseguir no Progredir. Então, será possível fazer um levantamento do quanto o dinheiro irá lhe ajudar com o seu objetivo e se compensa ir atrás desta alternativa.

No momento de simular o empréstimo, muitas coisas serão levadas em consideração, entre elas: o banco que irá liberar o crédito, sua renda atual e o valor solicitado.

Portanto, esta etapa de simular a situação não pode ser desprezada. Para isso, você pode clicar aqui e utilizado um ótimo simulador para descobrir, em média, o valor que será disponibilizado.

As taxas do Empréstimo do Bolsa Família

O Plano Progredir não diz quais são as taxas de juros ou tarifas cobradas no empréstimo do Bolsa Família, no entanto, garante que cada banco parceiro pode ter as suas próprias condições e cabe ao interessado aprovar ou não tais condicionamentos.

Apenas para que você tenha um exemplo real disso, saiba que a Caixa (um dos bancos parceiros) tem uma linha de crédito para empreendedores com taxa de juros a partir de 3,3% ao mês e uma tarifa de 3% sobre o valor emprestado.