Isso é importante de analisar na hora de emprestar o cartão de crédito!

A pergunta que não quer calar de hoje é: “será que eu devo emprestar o meu cartão de crédito”? Independente de para quem seja, a pergunta é a mesma. Afinal, este é um item que exige muitos cuidados para acabar não se complicando.

Pode ser para o seu pai, mãe, filho, amigo, parente, primo, para o papa… é importante pensar muito bem antes de emprestar um cartão de crédito para alguém.

Isso é importante de analisar na hora de emprestar o cartão de crédito!
Foto: (reprodução/internet)

É comum que às vezes nós tenhamos um bom sentimento de querer ajudar alguém que conhecemos. Aquela coisa meio empática, de querer fazer algo pelos menos favorecidos. Todo brasileiro tem isso, ao menos um pouco. Mas, vamos analisar os fatos para você encontrar a resposta para esta pergunta.

Sim ou não?

O fato é que esta pergunta não é fácil de ser respondida. É possível sim que alguém precise de uma ajuda e aí você que vai ficar com a questão sobre ajudar ou não. Será que existe um “momento certo” para isso?

1 – Se você pode ajudar…

É possível que você possa emprestar dinheiro ou ser fiador de alguém. Mas ainda assim, não é porque você pode que irá comprometer as suas finanças pessoais a favor desta causa.

Antes de tudo, procure saber se a pessoa tem condição de cumprir o compromisso que ela está assumindo com você. Ela está alugando uma casa e precisa de um fiador? Essa pessoa tem uma renda compatível com aquele aluguel? Essas são perguntas essenciais

Se você vai colocar o seu nome, você tem direito de saber o quanto essa pessoa ganha, então pergunte a ela. Seja um parente ou não, qual o holerite dela e qual é a renda mensal estimada?

Avalie os possíveis gastos que a pessoa pode ter

Também é muito importante fazer uma observação sobre o tamanho da família do indivíduo que está pedindo ajuda. Afinal, quanto mais integrantes existirem, mais gastos são necessários.

Um outro questionamento a se fazer é: será que essa pessoa está indo muito longe no seu desejo na casa que ela está alugando ou comprando? Portanto, faça essas perguntas e pense melhor.

Se você vai dar o seu nome ou fazer um empréstimo para alguém que tenha condição de assumir aquele compromisso ou pagar aquela parcela combinada, tudo bem. Siga em frente!

2 – Eu tenho condição?

A melhor forma de saber se você tem condição ou não de ajudar essa pessoa é cogitando a hipótese de ela não honrar com o pagamento. Nesse caso, será necessário que você pague no lugar dela. Você tem reserva para isso?

Afinal, como o cartão de crédito é seu, o nome que a dívida irá manchar também será o seu. Caso o pagamento não aconteça, aí sim você verá um grande problema acontecer em sua vida financeira.

Por isso, a importância de saber se essa pessoa que está pedindo sua ajuda tem condição de cumprir esse compromisso de pagar esta conta. Fique muito atento a este ponto.

3 – Dar é melhor do que emprestar!

Agora, deixando um pouco as brigas religiosas de lado, vamos ver um ponto diferente para analisarmos o empréstimo do cartão. Em um trecho bíblico, aprendemos o seguinte: “O ímpio pede emprestado e não paga. O justo porém, se compadece e dá”.

Sabe o que este trecho está dizendo? Se você quer ajudar alguém, às vezes é melhor dar do que emprestar. Mas, aí você não vai querer dar, certo? Então, por que está cogitando emprestar?

Se você não quer dar o dinheiro, leve em consideração a possibilidade de que você vai ter que ter uma despesa se a pessoa que você ajudou não pagar o que deve. No fim, você acabou dando mesmo.

Portanto, nem mesmo a Bíblia tem uma resposta precisa sobre se você deve dar o seu nome para crédito ou não. Avalie a situação e tome a melhor decisão com convicção.