Saiba mais sobre a emissão de notas fiscais de MEIs dentro do Salão de Beleza

Agora, os salões de beleza podem fazer parceiras com vários MEIs (Microempreendedores Individuais). Inclusive, um MEI pode ser dono do salão, outro pode ser o cabeleireiro, outro pode ser o maquiador, outro o manicure e assim por diante.

É possível fazer alianças dentro de um salão de beleza com vários MEIs – através do Salão Parceiro. No entanto, isso gera dúvidas, como no caso das notas fiscais. É preciso emitir? Quem vai emitir? Fizemos um apanhado com as informações mais importantes, acompanhe.

Saiba mais sobre a emissão de notas fiscais de MEIs dentro do Salão de Beleza

O Salão Parceiro

O Salão Parceiro é o nome do programa que permite que vários profissionais parceiros trabalhem em acordo. Agora, vale começar pelo fato de que o dono do salão é quem vai ser o responsável pelas emissões das notas fiscais.

Depois, os proprietários de cada empresa vai fazer a divisão do que representa os gastos do estabelecimento comercial e do que vai ser pago para cada profissional. Tudo é feito em porcentagens.

Dessa forma, a opção de abrir um negócio próprio, sendo um salão de beleza, acaba sendo uma ideia regularizada e possivelmente lucrativa.

Já que torna possível fidelizar clientes e estar dentro da lei, principalmente com a questão contábil e fiscal.

Por que emitir as notas?

Como está na Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, o MEI não é obrigado a emitir nota fiscal. Exceto se o cliente solicitar o documento fiscal.

Agora, em se tratando de um Salão Parceiro, a emissão da nota se torna imprescindível para uma melhor gestão financeira do projeto.

Já que vai ser preciso comprovar o que é chamado de cota-parte de cada profissional parceiro do salão.

O comprovante fiscal vai ser usado, posteriormente, para a contabilidade do salão.

Lembrando que uma nota fiscal tem o intuito de mostrar os recolhimentos de impostos e vale tanto para a prestação de serviços como para a venda de produtos.

Os tipos de notas fiscais

Hoje em dia, existem muitos tipos de notas fiscais disponíveis no mercado financeiro, inclusive, para MEIs. No entanto, as opções eletrônicas são mais viáveis porque facilitam a emissão e evitam as burocracias.

Um dos melhores exemplos, assim sendo, são as notas fiscais de serviço eletrônicas, ou simplesmente NFS-e. Elas servem para confirmar as operações dos serviços prestados. Elas têm códigos específicos que são fornecidos pelas prefeituras locais.

Tem também a nota fiscal ao consumidor eletrônica ou, simplesmente, NFC-e. Ela também é chamada de SAT (Sistema de Autenticação e Transmissão). Uma ideia da utilização dela é substituir a nota fiscal simples e o cupom fiscal do consumidor.

O planejamento

Como visto, a emissão de nota fiscal dentro de um salão viável é totalmente possível e importante. Isso faz parte da contabilidade do lugar e pode auxiliar no bom andamento do negócio.

Os processos, atualmente, são mais simples do que aqueles mais antigos. E, aliás, nem se gasta com a impressão da nota, já que elas são, em sua maioria, eletrônicas.

Para quem ainda ficou com dúvidas, uma ideia é procurar a prefeitura local ou o Sebrae, que são instituições que dão aparatos técnicos para esse assunto.