Saiba como economizar dinheiro entendendo a bandeira da conta de luz

Desde 2015, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) usa o sistema de bandeiras “coloridas” para fazer a cobrança de tarifas na conta de luz no país. Você já deve ter ouvido falar da tarifa amarela, tarifa verde e tarifa vermelha, né.

Bom, a ideia, desde a criação, é a de repor os gastos extras com o uso das termelétricas em determinados períodos do ano. Especialmente, em secas e estiagens. E, por mais que pareça difícil, saiba que é bem simples entender isso.

Saiba como economizar dinheiro entendendo a bandeira da conta de luz 1

Além do mais, quem é que já parou para analisar a conta bancária, que vem em boleto, da conta de luz? Isso deveria ser feito mensalmente, mas pouca gente faz. E, por isso, falar deste conteúdo agora é tão importante. Entender as bandeiras de luz pode te ajudar a economizar dinheiro!

As cores da bandeira de luz

Antes de tudo é preciso entender como funcionam as cores da bandeira de luz que a Aneel usa. Então, a bandeira tarifária é classificada em três cores, sendo: verde, vermelha e amarela. São as mesmas dos semáforos, né.

Bom, elas são definidas mensalmente. E indicam se vai haver acréscimo ou não vai haver acréscimo na sua conta de luz. O motivo, como falamos, é o uso das termelétricas.

De modo geral, quando chove pouco, o que acontece é que o nível dos reservatórios das hidrelétricas fica mais baixos. Aí, a produção de energia cai. E para compensar essa produção menor, as termelétricas são acionadas, só que elas custam mais caro.

E aí, quem paga a conta, você já sabe: nós, consumidores. Por curiosidade, vale saber que essa ideia é chamada de SIN – Sistema Interligado Nacional. E Roraima é o único estado que não participa disso.

Os valores das bandeiras

O próximo passo é entender quais são os valores acrescidos em cada cor de bandeira tarifária da conta de luz. E isso é bem simples, até mesmo porque é intuitivo. A bandeira verde, por exemplo, não tem custo a mais.

Já a bandeira amarela tem um custo de R$ 1 a mais para cada 100 quilowatts-hora. Enquanto que a bandeira vermelha é a mais cara: R$ 3 a mais para cada 100 quilowatts-hora ou pode chegar até R$ 5 a mais para cada 100 quilowatts-hora.

Obviamente, a bandeira vermelha mais cara pode acontecer quando há investimentos em termelétricas ou outras coisas do tipo. A última vez que essa tarifa mais cara aconteceu fio em setembro de 2018.

Dá para economizar dinheiro, sempre

Agora, obviamente, quando a tarifa é verde, obviamente, melhor para o consumidor. Só que mesmo quando ela muda, o fato é que dá para economizar dinheiro com a conta de luz. E fazer isso pode ser muito mais simples do que você imagina.

Por exemplo, você pode diminuir o tempo no banho, evitar usar o chuveiro sempre no mais quente, evitar deixar a geladeira aberta por muito tempo, tirar os aparelhos em stand by da tomada, apagar a luz de lugares onde não tem ninguém, diminuir consumo do ar-condicionado e do ferro de passar roupas. E por aí vai.