Como calcular o pagamento do 13º salário

A gente separou 3 pontos importantes para você que está buscando um jeito de calcular o pagamento do 13º salário. Isso porque todo dinheiro extra é bom, né. E o 13º salário é muito esperado por muito brasileiro que usa o dinheiro para vários fins.

Agora, como será que a gente fica sabendo quanto a gente vai receber? Para responder essa pergunta, a gente separou alguns pontos que as pessoas costumam esquecer de colocar na conta. É o caso do imposto de renda, do INSS, das horas extras, por exemplo.

Como calcular o pagamento do 13º salário

Continue lendo com bastante atenção para entender mais sobre esses cálculos. Afinal de contas, essa é uma forma de comparar se o seu pagamento está de acordo com o que é seu, por direito. E, além do mais, isso permite se programar melhor para o uso do dinheiro, também.

DESCONTOS

Uma boa ideia é pensar nos descontos que se pode ter porque isso varia com base no valor do seu salário atual. E a primeira coisa a se pensar é no desconto do INSS, que vai para o Instituto Nacional do Seguro Social.

Por exemplo, quem ganha até R$ 1.659 vai ter um desconto de 8%. Desse valor até R$ 2.765 vai ter desconto de 9%. Já para quem ganha até R$ 5.531, o desconto vai ser de 11% na folha de pagamento. E acima dos R$ 5.531, o desconto é de R$ 608,44, que é o teto dos impostos.

Já no desconto do Imposto de Renda, considere que para salários de até R$ 1.903 não tem parcelas a deduzir. Desse valor até R$ 2.826, o desconto é de 7,5%. Para até R$ 3.751, o desconto sobe para 15%. E até R$ 4.664, tem um desconto de 22,5%.

Por último, para quem ganha acima dos R$ 4.664, o desconto é o maior de todos, 27,5%. E isso vai dar aí um valor de R$ 869.

HORA EXTRA

Uma coisa a pensar também é sobre as horas extras, adicionais noturnos ou comissões. Saiba que o seu 13º salário vai ter um valor proporcional desses “a mais que você recebeu também”. Tudo é feito proporcional e é pago quase sempre na segunda parcela do benefício.

Para o cálculo dessas horas, some todas as horas a mais que trabalhou e divida pelo número de meses trabalhados. Depois, multiplique pelo custo da hora extra.

HORA A MENOS

Um último ponto a ser pensado é sobre quando a pessoa não trabalhou o ano todo na empresa. Aí, obviamente, ela tem algumas horas a menos. E isso também é calculado proporcionalmente na hora de receber o benefício.

Assim, para calcular a primeira parcela, a conta é simples. Divida o seu salário por 12 e multiplique pelo resultado de número de meses que trabalhou até novembro. A primeira parcela será metade desse valor, sem descontos.

Já no caso da segunda parcela, a conta é a mesma, mas aí você tem que descontar o INSS e o Imposto de Renda citados neste conteúdo. Aí, o resultado vai ser o valor do pagamento que acontece em dezembro.