Por que não se deve comprometer mais de 30% com o financiamento?

Na hora de fazer um empréstimo ou um financiamento (de carro, de moto, de imóvel, de viagens, de caminhão, etc), os bancos e financeiras acabam recomendando que a pessoa não comprometa mais do que 30% do salário com esse gasto.

E muita gente tem dúvidas sobre isso. O fato é que o número e a porcentagem não são criações dos bancos porque eles não estão tão preocupados assim com você. Mas é uma recomendação que vem de outros órgãos, como o Banco Central, o Procon e outros.

Por que não se deve comprometer mais de 30% com o financiamento?
Foto: (reprodução/internet)

Portanto, a ideia deles sim é te ajudar. Aliás, te ajudar a não se endividar. Por isso é que existe essa regra dos 30% da renda bruta mensal, que não deve exceder as suas contas com cartão de crédito, empréstimos e financiamentos, por exemplo.

E se eu comprometer mais do que 30%

Aí que tem muita gente que consegue burlar o sistema e acaba comprometendo mais do que 30% do salário com esse custo, né. E, por isso mesmo, elas se acham super espertas. Só que isso não é nada bom, mesmo.

Isso porque quando essas pessoas ficam com muitas contas a pagar elas podem ter problemas financeiros no futuro. Primeiro porque podem não dar conta de arcar com tudo e aí, os juros vão lá em cima e elas entra em uma verdadeira bola de neve.

Outra coisa é pelo fato de que quando esses indivíduos estão até o gargalo com contas, elas ficam desprovidas e qualquer imprevisto financeiro pode acabar com ela. Até mesmo um conserto do carro pode ser o estopim para a bomba explodir, por exemplo.

Os cuidados para não comprometer os 30%

Mesmo que você ache que tenha boas perspectivas no trabalho ou que 30% é muito pouco já que você tem pouco gasto, vamos considerar um exemplo para você entender a importância de manter esse limite nos seus financiamentos.

Em um financiamento de imóvel você terá a parcela do seu financiamento. Mas, além dele, terá outros gastos também. Por exemplo, pode parcelar a entrada. Além dessa parcela, ainda terá que mobiliar o seu novo lar. Tudo isso sem falar do valor do condomínio e das reformas.

Isso porque nem falamos, ainda das contas domésticas que toda casa tem. Tem a conta de luz, a conta de água, a conta da internet e do telefone, a conta dos planos e serviços, de forma geral. É por isso que os 30% do financiamento ainda é um valor até que alto.

E se eu já comprometi os 30%

Agora, se você é alguém que já entrou no problema de ter se achado esperto e já está comprometido até o pescoço, saiba que tem algumas ideias para você começar a se mexer e sair dessa situação.

Uma delas é cortar outros gastos e diminuir ao máximo possível. Tem ainda a questão de começar a fazer umas horas extras no trabalho ou fazer uns bicos aos finais de semana. Ainda é possível usar os benefícios (como FGTS e 13º salário) para quitar os débitos.

Não leve os 30% ao pé da letra e gaste até menos

São alternativas que podem exigir de você um grande esforço agora, mas que valem a pena depois. Pense nisso. E acredite sim nessa regra dos 30%. Se possível, diminua esse valor para os 20% ou 10%, que acaba sendo ainda mais recomendado.